quinta-feira, fevereiro 03, 2011

Dois poemas de Luana Toledo


Natureza pecaminosa

Quando fico
comigo mesma
percebo o quanto de Você
ainda me falta
e o quanto de mim
ainda resta

Vejo e sinto
que preciso aprender que o meu eu
me impede de experimentar
o quanto é doce contemplar a Tua face
e o quanto me encho de Você
quando me despojo de tudo

Sinto-me como um pássaro
alçando o seu primeiro voo
aquele que se joga
simplesmente se joga
para conseguir voar

Seus sentimentos?
Medo, adrenalina, felicidade
desejo de voar mais alto
e ir além do possível
vivendo o impossível
com a certeza de que irei encontrar um colo
um sorriso e um abraço indescritível.



Contemplação
Ao olhar a natureza
sinto-me privilegiada
por contemplar
tamanha perfeição criada

a exatidão do mar
ao lançar suas ondas
somente até ali
onde lhe foi permitido

a delicadeza das flores
com seus contornos diferenciados
me deixa impressionada
com inúmeros detalhes

ao vento
que apesar de não visto
faz sentir-me tocada por Deus
por sua sutileza e também intensidade

ao sol
que aquece minha pele
simplesmente por obedecer aquilo
que lhe foi ordenado desde a criação

a lua
tão fixa no céu
iluminando a escuridão da noite
assim como deve ser

Sinto-me privilegiada
por contemplar
tamanha perfeição criada
e tamanha criação perfeita

2 comentários:

Catarina Ferreira disse...

eu gostei muito. belas letras.

Chris Amag disse...

Lindo poema de exaltação à criação de Deus.

Deus é mesmo caprichoso, cada detalhe minuciosamente pensado e desenhado, perfeito!!!

Bjs
Lindos poemas

Chris Amag

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...