segunda-feira, março 14, 2011

Dois poemas de Jonathas Braga



No Getsêmane


De joelhos sobre a terra, o Mestre orava,
naquele instante cheio de amargura
e, ao pressentir que o fim se aproximava,
a noite parecia mais escura.


- Meu Pai, se for possível, vem e afasta
de mim o cálix negro da maldade,
mas, se tanto sofrer já não me basta,
seja feita, meu Pai, tua vontade.


E enquanto um anjo ali o confortava
os sofrimentos cruéis lhe amenizando,
dos seus olhos a lágrima rolava
em gotas de cristal se transformando.




A Humildade de Jó


Eu sei que tudo podes, Deus bondoso,
em todos os momentos,
e pensamento algum, Deus poderoso,
sonda os teus pensamentos.


Coisas maravilhosas não sabia
e por isso falei,
mas nem o que falava eu entendia
e só agora o sei.


Atenta para mim, Senhor clemente,
e falarei sem medo,
pois eu te inquirirei, humildemente,
de manhãzinha, cedo.


Ouve-me, que de tudo me arrependo
de todo o coração,
e em pó e cinzas hoje me envolvendo,
espero o teu perdão.


Do livro A Maravilhosa Luz

Um comentário:

Nil disse...

Passando pra mandar um abrço e parabeniza-lo pelos poemas muito legal a internet precisa de mais bloggers Cristãos um abraço
Nicolas C. Sales do blog vivendo com Deus...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...