terça-feira, maio 24, 2016

Três poemas de Judson Malta


Mãe terna: Castelo, ofício e mistério.

Força incontida da natureza
Brilha tua luz na destreza
Das mãos de mil tarefas
Renúncia e beleza

Oficio laborioso esse, de ser mãe terna
Férias, não há
Descanso, não há
Salário, não há
Mas há trabalho... amor, prazer, força.
Deus sustenta você, mãe terna

Mistério profundo
Quando receptáculo da vida
Em teu ventre, mãe terna
Guardas o poder da criação

Ès mãe, senhora da vida
Guardas em ti,
O rebento de toda nação

Querida mãe terna
De lábios e canções de ninar
De beijos e doce falar
Sua cama, seu manto, seu cheiro
São descanso e segurança
São abrigo, consolo e renovo
Colo de mãe é castelo de criança.

Deus acolhe através de você
Deus usa o seu proceder
Deus te abençoa com sabedoria
Deus a faz leoa defensora
Sobrevivente lutadora
Obrigado Senhor, pelo castelo, ofício e mistério.

Obrigado, por nossas mães e por seu amor sobrenatural.


Salmo de Livramento

Como não viria eu à Tua Presença, Rei meu e Deus meu.
Como não derramaria meu coração em teu altar.
Como não cantaria louvores e não sopraria trombetas.
Se Deus é bom, e tem sustentado os meus passos
Se Ele tira do seu baú coisas velhas e novas
Se Ele nos desterritorializa do espaço pecaminoso
e nos chama ao altar de vida sacrificial.

Deus nos chama a vida nova, em novidade de vida.
Agora não vivo eu, mas Cristo vive em mim.
Como não abriria mão de meus ideais?
de minhas escolhas egoístas?
de minhas paixões mesquinhas?
Se maior é o Amor... ora, se maior é o Amor,
mais busco Ele,
mais me entrego por Ele,
mais me renuncio para Ele.

O Senhor renunciou toda a Sua Glória por amor de mim, 
ele se esvaziou de si mesmo para demonstrar o seu Amor. 

Obrigado Senhor pelo que nos une, por tua vida, morte  e ressurreição. 
Obrigado Senhor, por Jesus, a encarnação da Palavra libertadora. 
Que nos ensinou a servir e entregar as nossas vidas em resgate de muitos.

Obrigado Senhor que tens feito nossos pés passarem por um vale enxuto,
Que tem nos livrado da mão de Faraó, 
que tem aberto milagrosos caminhos onde saída não havia.

Obrigado Senhor, que unges o teu ungido e o adornas com pedras de sabedoria dos Céus 
a fim de guiar o Teu povo. Livra Israel do mau caminho, ó Pai.
  
Tem misericórdia de mim,
Tem misericórdia de nós, 
Ajuda-nos, Senhor.


Poesia Pastoral

No silêncio do meu canto
Ouço a voz do medo
Medo oculto em mantos

Inseguranças pressas no tempo
Levam-me por ocultos espaços
Fraco, rendo-me à espera

Nas voltas da vida
Revoltas perdidas
Lançadas pela criança

Ouvir o farfalhar dos Teus cantos
Ver as dores do rebanho

Vir a ser restaurador de sonhos

Ouvir, ver e vir a ser
Restaurar-a-dor
Cantos do rebanho sonhador

Declaro a falência de mim
Rendo-me à dependência
Suplico-Lhe por vida
E vitória
Sobre as dores na marcha

(Dedicado à Pra. Ana Isaura, minha querida Mãestora.)

Leia mais textos no blog do autor: http://judsonmalta.blogspot.com.br/


Um comentário:

Judson Malta disse...

Obrigado ao Blog "Poesia Evangélica" por selecionar e publicar alguns dos meus poemas. Obrigado, o blog vale ser conferido. #MuitoBom #Parabéns!

Mais alguns links de meus projetos, poesias e trabalhos:
Blog Geografia, poesia e fé - http://judsonmalta.blogspot.com.br/
Facebook Rede Geocaçadores: Geotecnologias e Ensino - https://www.facebook.com/geocacadoresnordeste
Canal YouTube Rede Geocaçadores: Geotecnologias e Ensino - https://www.youtube.com/channel/UCs52p9Orv3q8xh1Q1FB7LqQ

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...