segunda-feira, abril 23, 2007

Dois poemas de Myrtes Matias

Agora

Se queres dar-me uma flor;
Dá-me antes que eu morra...

Se podes hoje fazer o milagre
De um sorriso num rosto que chora,
Não coloques flores sobre tumbas;
Se queres dar-me uma flor, faze-o agora.

Se podes dar um lar ao órfãozinho,
Abrigo ao pobre que geme lá fora,
Não encolhas a mão - Deus está vendo;
Se podes dar-me uma flor, faze-o agora.

Se conheces o Eterno Caminho
Que leva ao templo onde a alegria mora,
Não guardes, egoísta, o teu segredo;
Se podes dar-me uma flor, faze-o agora.

Se podes dizer uma frase linda
Algo que faça a tristeza ir embora,
Dize-a enquanto posso agradecer sorrindo;
Se podes dar-me uma flor, faze-o agora.

O que farei das orações, das flores
Quando do mundo eu já não mais for?
Aos pés de Deus eu as terei tão lindas
Que não precisarei do teu amor.

Não esperes o instante da partida:
Se podes me fazer feliz, faze-me agora.
Para que chorar de remorso e saudade?
Custa tão pouco a felicidade:
Dá-me uma flor antes que eu vá embora.


Escreve em Mim

Senhor, aqui está minha vida,
não como um documento já preparado
à espera da Tua rubrica.
Apenas uma folha de papel em branco
a ser preenchida com a vontade Tua,
com os planos Teus.
Por favor, Senhor,
pensa em minha insuficiência,
considera minha dificuldade de compreender
e escreve com tintas vivas, nítidas,
de tal maneira que me seja impossível
confundir ou duvidar.
Quero sair agora,
ainda hoje, se possível for,
a mostrar ao mundo o que escreveste em mim,
a provar aos homens que Tu és o Autor.

Que a mais simples criança possa ler-te em mim
e que o mais sábio dos homens possa reconhecer
em cada gesto meu
o traçado dos eternos dedos Teus.

Diante desse mundo que se desintegra,
desta sociedade que exige cada vez mais,
quem sou eu para escrever primeiro
e pedir depois a Tua aprovação?

Estende a mão que gravou no Sinai a Santa Lei,
que escreveu na areia uma mensagem até hoje desconhecida
e, para o bem do mundo,
para glória Tua,
para paz de minha alma,
escreve na folha em branco de papel que eu sou,
a palavra que és Tu mesmo:

AMOR!

3 comentários:

JURIDISSE MIRANDA GABRIEL disse...

Lembro-me de suas mimicas e da ternura que expandia ao recitar o lindo poema "Agora". Comovente ! um recado que dá a todos nós para que não nos esqueçamos da simplicidade da oferta do amor.

JURIDISSE MIRANDA GABRIEL disse...

Lembro-me de suas mimicas e da ternura que expandia ao recitar o lindo poema "Agora". Comovente ! um recado que dá a todos nós para que não nos esqueçamos da simplicidade da oferta do amor.

nany miguxa disse...

OUVI ESSE LINDO POEMA AOS 25 ANOS , HOJE AOS 46 NUNCA CONSEGUI ESQUECER FAZ PARTE DA MINHA VIDA . OBRIGADA POR ESSE POEMA TÃO LINDO EXISTIR .

JORGEANE DOS SANTOS MARTINS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...