quinta-feira, outubro 08, 2009

Três poemas de Rui Duarte

*

MEDITAÇÃO SOBRE O SALMO 133

Ah querido irmão
Nada é mais doce
Do que as tépidas manhãs
Que amaciam as gotas do orvalho
Sim do orvalho de Hermon

Nada mais delicioso
Do que o nacarado óleo
Que desliza pela barba
O óleo da constrição do fruto da oliveira

Nos nossos conclaves, irmão
Há o mel dos abraços
E o sal dos risos
O veludo dos cantos
Entoados em conjunto
E o sol pleno das nossas danças

Ah somos Aarão de barba luzente
E irmãos do orvalho

Eia! Que nestes conclaves
Está o Irmão mais velho
Ele próprio do seu frasco
Derrama sobre nós o perfume
O mesmo que lhe ungiu os pés



OFICINA

Os reis vêm a ti
Trazem as suas espadas e os ceptros e as coroas
As espadas estão embotadas
Os ceptros quebrados
E as coroas de aço pesam nas cabeças
Ouro em vez de bronze
E muitas perguntas

Os sábios trazem ouro incenso e mirra
Cadernos em vez de livros

As mãos e bocas são de barro
Os corações e entendimento de pedra
Sobre a tua mesa as depositam

Ó mais nobre dos artesãos
Quem se atreve a questionar a tua arte?



CONTRADIÇÕES DO CORRUPTO

Por trinta moedas
E um beijo
Vendi o meu irmão
O meu coração de prata

O preço de um terreno

Ambição?
Não
O preço da minha decepção
Simplesmente
A possibilidade de um pouco de lucro
E de comprar um outro Messias

Visite o blog do autor: http://neaktisis.blogspot.com

3 comentários:

Cristi@ne Augusto - disse...

Venha comemorar as 5 mil visitas do meu Infinito, vc faz parte!!! http://infinitodacris.blogspot.com/2009/10/5-mil-visitas-no-meu-infinito.html

J.T.Parreira disse...

Muito contente por ver aqui editado o meu amigo Rui. Mais um/três contributos para o que deve ser a boa Poesia Evangélica.
J.

daniele disse...

eu adorei esse blog estão de parabens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...