domingo, maio 01, 2011

Dois poemas de Carlos Nejar



SEM ESTRELA

A morte ia comigo e eu, com ela.
E vi o seu ridículo vestido,
o andar desajeitado e sem sentido,
o rosto com penteado de donzela,

sendo tão velha, velha, no ruído
de suas meias e sapatos de heras.
Então não resisti e me ri dela,
caçoava de seus gestos confundidos.

E desta sisudez que nada espera,
mas sabe que na vida um só gemido
pode fazê-la emudecer. Insisto

em rir de sua passagem sem estrela,
sem grandeza nenhuma. E se resisto,
é porque está em mim quem vai vencê-la. 




CETRO


Tens de meu reino, o cetro.
Tudo o que me sucede
é futuro em tua rede.

Estás no princípio
e fim. Mais forte
que as coisas
que estão em mim. 


Do livro “Todas as Fontes Estão em Ti”, Editora Eclesia



Via blog http://eliotkalamos.blogspot.com/

3 comentários:

Rosana Steimbach disse...

só para contar, gosto mt desse blog ;)

Chris Amag disse...

Queridos amigos de Blog

Quero deixar aqui o meu agradecimento ao Sammis que nos dá oportunidade para postar os nossos poemas e ler poemas tão belos quanto lemos neste espaço.

Abraços!

Chris

Sammis Reachers disse...

Obrigado minhas irmãs. Estamos juntos, pela poesia e por Cristo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...