sábado, agosto 11, 2012

Dois poemas do Pr João Falcão Sobrinho



Sinfonia das Goteiras

Raios estalam nas ancas das nuvens
Chicotes de fogo.
As nuvens urram indóceis,
assustam os pardais na mangueira.
No espigão do morro,
geme o casebre,
uiva o zinco,
estremece.
A mãe recolhe os seus pintinhos
nas asas da fé:
“Firme nas promessas do meu Salvador,
Cantarei louvores ao meu Criador”.
Os meninos se encolhem a cada estrondo.
As paredes tremem; de tábuas desiguais
querem fugir do vento.
Cai a chuva,
pesadas gotas de pavor
entremeadas de silêncios eternos.
Julinho começa a chorar:
- Mãe, a casa da gente vai cair.
Aninha soluça:
- Simbora daqui, mãe.
Débora tem pânico nos olhos miudinhos:
- Tem medo não, a mãe tá aqui.
O enxurro estruge com ímpeto,
carrega o lixo do morro.
Tremem os alicerces do mísero tugúrio.
- Mãe, tá chovendo ni mim.
A mãe brinca com o pavor:
- Julinho, pegue aquelas latinhas,
bote uma de boca prá baixo
debaixo de cada goteira.
Em poucos compassos começa a sinfonia:
Ping, ping, peng, pong, pang, ping...
Fora, a fúria estrondeia estertores.
Dentro, lampeja alegria.
Volta a calma
na alma
de cada criança.
Descansa.
A voz da mãe
embala o vento menino:
“Firme nas promessas não irei falhar,
Vindo as tempestades a me consternar”...
Feliz o filho que tem essa mãe
que sabe fazer das goteiras,
uma sinfonia de paz:
ping ... ping ... ping…

 in O Jornal Batista #31 / 2012




SER MÃE, O QUE É?

Ser mãe é dividir.
Primeiro, a vida: o sangue, o ar,
o alimento,
o corpo que se forma dentro do corpo.
Depois, o amor: os cuidados, a força,
os afetos,
o coração que se forma
dentro do coração.
Depois, o espírito: os dons,
o pensamento, a coragem,
o ideal que se forma
dentro do ideal.
Depois a alma: a fé, a alegria,
a esperança,
o céu que se forma dentro do céu.
Ser mãe é, também, multiplicar,
Letras, palavras, frases, discursos,
Talentos que se multiplicam do talento.
Engenho, obras, trabalho,
novos mundos que nascem de um mesmo mundo.
Passos, gestos, sinais,
caminhos que partem de um mesmo caminho.
Ser mãe é saber somar.
Outra vida, outro amor, outro sonho.
outra alma no céu.
Outra palavra, outra obra,
outro espírito, outro mundo,
outra glória que se soma
à glória de ser mãe.
Ser mãe é também saber subtrair.
Da dor, tirar paciência.
Do fracasso, tirar esperança.
Do medo, tirar firmeza.
Da ausência, tirar saudade.
Do remorso, tirar sabedoria.
Do fim, tirar um novo começo.
Dor, paz, esperança,
corpo, alma, tempo,
dons, sonho, vida,
Céu, carinho, MÃE!

Um comentário:

Marcos Andre - Professor disse...

Sinfonia das goteiras

Excelente história poética, me lembrei da infância, dos dias de chuva rsrsrs.

Deixo um convite para visitar meu blog de poesias.

TEMPO DE PAZ
http://umtempodepaz.blogspot.com.br/

Marcos André

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...