sábado, abril 03, 2010

EU VI O SENHOR - Poema do Pr. José Britto Barros

*

“ E U  V I  O  S E N H O R ”

ENTÃO SAIU MADALENA DIZENDO AOS 
DISCÍPULOS:EU VI O SENHOR! ( João 20. 18 )

Naquela madrugada saíra Madalena
Para ir ao sepulcro a visitar um morto.
Jamais imaginara iria ver a cena
De contemplar Jesus ressuscitado ali no Horto.

Mas algo aconteceu nessa manhã gloriosa!
Quando aquela mulher chegou ali chorosa
Para honrar seu Jesus que fora sepultado,
Ela o não encontrou, aquele Cristo amado
Havia do sepulcro desaparecido
E ela põe-se a chorar em pranto desmedido.

Porém ali estavam dois anjos, que com ela falaram:
-- Por que choras, mulher? -- Meu Senhor já roubaram!
Não sei onde o puseram... E a chorar continua...
Seus prantos sem remédio os anjos não curaram ...
Mas ela descobriu ali um outro alguém
Que do Horto julgou ser o guarda também.
E então ela pediu: Se o levaste. me diz onde o puseste
E eu irei buscá-lo mesmo sendo pesado
Pois Ele é o meu Senhor, meu Mestre muito amado!

Jesus enfim falou-lhe, por seu nome a chamando:
Maria! E ela o conheceu! Não mais está chorando!
A seus pés se prostrou contrita e embevecida
Por ver que estava vivo o senhor de sua vida!

Oh! Grandeza sublime! Oh! Glórias imortais
Jesus venceu a morte! Vitórias divinais.

Ah! Eu vi o Senhor! Sai ela a proclamar
A quantos sua voz conseguia alcançar.

Ela vira o Senhor redivivo e poderoso
E su’alma se encheu do mais intenso gozo!


2
E você, o que vê? O que você contempla?
O que pode mirar pelos olhos da fé?

Você apenas vê o Cristo que os homens têm pintado?
Esse Cristo que foi por muitos deformado?
Fizeram-no magrinho, esticado na Cruz...
Não é esse o Senhor, não é esse Jesus!

Fizeram-no também um Cristo monstruoso
Que leva o coração pendurado e sangrando...
Esse nunca que foi o glorioso Jesus
Que tanto nos amou e morreu numa Cruz!

Outros querem que Ele uma bolacha seja
Distribuído a quem comparece na Igreja...

Artista sem pudor o fizeram de cera num caixão
Como sendo o Senhor morto levado em procissão...

De pedra outros fizeram-no, estátua grande, enorme,
Assaz descomunal, gigantesca, disforme...

Imagens de Jesus, estranhas produções
De artistas que de Deus não tiveram visões.

Madalena nos diz de forma forte e clara:
Eu vi o Senhor! Ele, a jóia mais rara
De beleza invulgar, glorioso, magistral,
O Cristo que brilhou de forma sem igual!

O Cristo que ao nascer um coro incomparável
De anjos o saudou de modo inigualável!

O Cristo que nascendo uma estrela brilhou
E os Magos do Oriente a Belém os guiou.

Eu vi o Senhor que de apenas doze anos
Deslumbrou os doutores sabidos e decanos.


3
Eu vi o Senhor que sendo batizado
Se lhe abriram os céus sendo então proclamado
Ser Ele o próprio Filho do Deus supremo e forte!
Eu vi esse Senhor, o vencedor da morte!

Sim, eu vi o Senhor dos milagres perfeitos
Aquele que falou e viveu sem ter defeitos.

Eu vi o Senhor que aos leprosos fez puros,
Que promessas nos fez em dizeres seguros.

Eu vi o Senhor que a Lázaro do sepulcro chamou
E para suas irmãs vibrante o entregou!

Eu vi o Senhor que atendera os pecadores
Findando seu sofrer, tristezas e temores!

Ah! eu vi o Senhor que aos ventos firme ordena
Que cessem de rugir, e completa essa cena
Acalmando o escarcéu das ondas revoltadas
Fazendo-as ficar quietas e acalmadas.

Eu vi o Senhor que abraçava as crianças
Doando a cada uma bênçãos e esperanças.

Ah! Eu vi o Senhor que libertou minh’alma
E me fez ser feliz gozando doce calma.

Eu vi o Senhor que um dia irá voltar
E essa eterna mensagem nos mandou proclamar!

Eu vi o Senhor Caminho, Luz, Verdade
Que um dia irei louvar na doce eternidade!

Eu vi ao Senhor a quem amo e obedeço,
De quem tudo recebo e sei que não mereço.

Eu vi o Senhor, e você quem está vendo?
Como está a su’alma, e como está vivendo?


4
Há luzes em Jesus, há respostas serenas,
Há glórias imortais para outras Madalenas
Que queiram-no adorar e crer nos seus ensinos
Porque vêm dos céus, e são todos divinos.

Eu vi o Senhor! Que você também o veja
Onde quer que labore, no lar ou na Igreja.
Nas dores ou prazer, nas santas alegrias
Ou mesmo no sofrer de tormentosos dias.

Que vejas o Senhor, o eterno, o sublimado,
Aquele que te fez remido e transformado!

Vejamos nós Jesus, o Cristo, o Rei, o Vencedor
E a Ele consagremos todo o nosso amor! Amém!

João Pessoa, 4 de abril de 2010

Um comentário:

Valvesta disse...

Boa tarde
"Alguns pensamentos são preces.
Há momentos em que, qualquer que seja a posição do corpo, a alma está de joelhos.
(Vitor Hugo)
uma semana cheia de alegria e paz. abraços, val.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...