terça-feira, junho 19, 2018

Um poema de David Brainerd


Oh! Amarga vergonha tenho agora

Tradução de José Britto Barros

Oh! Amarga vergonha tenho agora,
daquele dia em que, orgulhoso, outrora,
ao Salvador que me quis ajudar,
altivamente, eu pronto respondi:
Quero tudo de mim, nada de ti!...

Procurou-me, porém, com gran ternura
e contemplei da Cruz toda a tortura
entre a qual pelos homens Ele orou...
Assim eu meditei e lhe pedi:
Quero muito de mim, pouco de ti!...

Mas Cristo dia a dia veio me dar
as provas desse amor tão singular
procurando do abismo soerguer-me...
Então bem mais humilde requeri:
Quero pouco de mim, muito de ti!...

Porém, mais alto do que os altos céus,
e mais intenso do que os escarcéus,
Senhor, teu grande amor venceu-me enfim!
Dá-me, eu te peço, e esquece que eu descri:
Quero nada de mim, quero tudo de ti!...

Do livro Inspirações Poéticas do Pastor Britto.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...