quarta-feira, outubro 24, 2007

Um poema de Norma Braga

Veias, ou: poeminha protestante

Trago em minhas veias o legítimo sangue protestante.
Quando era pequena, meus pais me chamavam “a contestadora”.
Não é um título ruim diante de um mundo apodrecido.
A tradição dos tempos não pode definir as coisas.
Só Deus é; só Ele define.
Seus remidos o seguem humildemente
desprezando as ordens em contrário.

Quem dera eu fosse protestante
mais do que a carne o deixa.
Quem dera dizer não
a tudo que ofende a Deus.

Só Jesus pôde, ao mesmo tempo,
amar e protestar perfeitamente.

Fonte: www.normabraga.blogspot.com

4 comentários:

Leticia disse...

Olá! A Paz do Senhor!!!
Amei o seu cantinho. Gosto muito de poesias, principalmente evangélicas!!! Obrigada pela visita em meu blog, que Deus te abençoe!!!
ovelhalele.weblogger.com.br

Edson Camargo (sim, o velho Eliot) disse...

Olá, Sammis,

Excelente a proposta do seu blog. Obrigado pela citação e pela visita ao P.U. Quanto aos poemas da minha amiga Norma, vale sempre dar uma olhada no blog dela. E a prosa filosófica e teológica dela também é muito boa.

Abraço fraterno,
Edson.

Admin disse...

Olá, sou o webmaster do endereço www.fevirtual.org, mantido por alguns irmãos da cidade de Borborema-SP, meu objetivo do contato é verificar se vocÊ tem interesse em trocar link, caso tenha por favor,entre em contato através do formulário do site. O link será mostrado na categoria "Links" do site ok.

Abraços

Admin disse...

Olá, sou o webmaster do endereço www.fevirtual.org, mantido por alguns irmãos da cidade de Borborema-SP, meu objetivo do contato é verificar se vocÊ tem interesse em trocar link, caso tenha por favor,entre em contato através do formulário do site. O link será mostrado na categoria "Links" do site ok.

Abraços

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...