domingo, julho 27, 2008

Um poema anônimo


Minha vida é mero entretecer
entre o Senhor e eu;
As cores que ele mescla sem cessar
Deus mesmo escolheu.

Tantas vezes penas ele insere,
e eu, sem o orgulho depor,
esqueço que ele vê o lado de cima
e eu, o inferior.

Enquanto o tear não se calar, e
as lançadeiras não deixarem de voar,
Deus não irá desenrolar a tela e
as minhas dúvidas explicar.

Os fios escuros são tão necessários
nas hábeis mãos do tecelão
quanto os fios de prata e ouro
que ele colocou no padrão.

Anônimo

Do livro Encontrando a Peça Perdida, de Lee Ezell

3 comentários:

v.carlos disse...

Muito obrigado Sammis,



Foi de imensa edificação em minha vida aquela entrevista. Não só por Henri Nouwen como por Richard Foster.


Abraços,
Deus continue a te usar ricamente.
Fique na Graça!

Seminário disse...

Poderosas Palavras essas suas !! Que Deus possar usa-lo como um grande estrumento em suas mãos!!
Seminario Internacional Teologico de São Paulo

Daniel disse...

Oi, uma benção.
Gostaria de saber se poderia usar letra em uma musica .


a paz.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...