sábado, maio 19, 2012

Dois poemas de Thiago Rocha



Minha Casa

Minha casa é pequena, simples, pobre,
Mas gosto dela e nela sinto paz...
Minha casa não tem brasão de nobre,
Pois a nobreza é o coração que faz...

Na minha casa um tosco pano cobre
A rude mesa e um velho banco, atrás,
Serve de assento, e, embora pouco sobre,
Há o bastante, que a todos satisfaz.

Minha casa não tem comodidade
Como os ricos palácios da cidade,
Mas foi um lar assim que eu sempre quis.

Lá, todos se amam, querem bem aos seus
Na minha casa pobre eu sou feliz.
Porque nela “buscamos sempre a Deus”.

in Vida Cristã


Fatal Negligência

Sonhei num sonho triste, impressionante,
Que um grande amigo me dizia adeus...
Havia dor expressa em seu semblante...
E lágrima a correr dos olhos seus...

O caminho! O caminho? Será distante?
Quem me pode guiar os passos meus?
Ó, meu amigo, parto neste instante,
Sem saber o caminho para Deus...

Foi um aviso, sim, eu bem senti
Que do Evangelho nunca lhe falara...
E ao telefone fui, correndo, para

Levá-lo à decisão por Cristo, ali:
“Onde está, por favor, o amigo meu?”
E do outro lado disse a voz: “Morreu!”

in Raio de Luz

4 comentários:

Maria Cristina Gama disse...

Que lindo poema este "Minha casa"... Lembrei-me da época que morei com o meu pai, com apenas 6 anos, não entendia muita coisa...

Tudo era muito simples, sem conforto, sem rendas ou cortinhas, iluminada por lamparinas...

Mas eu era tão feliz. Foi meu pai que me apresentou a Jesus, levou-me à igreja e motivou-me a me batizar nas águas...

Essa é riqueza que todos buscam, mas pouco conseguem viver...

Beijos
Chris Amag

John L.S. disse...

Bela poesia, é do alto que vem, Graças a Deus!

Evanir Monteiro disse...

Não deixe de postar... encontrei o blog agora e adorei...

Anônimo disse...

Muito interessantes esses poemas muitos lindo brilhantes tenho certeza que foi feito com muito amor.obrigado pela gratidão de você Thiago rocha por nos transmitido, ter concedido, divido esse poema com todos nos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...